//
arquivos

reforma política

Esta tag está associada a 5 posts

Eleições 2014: PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA: Pré-candidatos quase definidos

[Carlos Evangelista, Política e Sociedade] No Dia 5 de outubro de 2014, aproximadamente 141 milhões de eleitores brasileiros elegerão o novo presidente da república para o mandato 2015/2018.
Três candidatos saem na frente rumo ao Palácio do Planalto. A atual presidente Dilma Rousseff do PT, Aécio Neves-PSDB e Eduardo Campo-PSB. Mas bem poderiam ser cinco. Eu acrescentaria nesta lista Marina Silva e Joaquim Barbosa. Mas é certo que outros mais surgirão.
Continuar lendo

Anúncios

Da Tragédia em Santa Maria ao ‘Incêndio’ nas Ruas do País (da Impunidade)

[Texto de Anovamente, Poesias e Pensatos] já está claro que o País do Futuro, se faz na Geração Presente… Continuar lendo

Lá-vai brasil colônia império república, Lá-vem a pública!

[Texto de Anovamente, Poesias e Pensatos] Brasil em fase de crescimento (graças a mátria amante) Continuar lendo

PLEBISCITO OU ENGODO POLÍTICO?

[Carlos Evangelista, Política e Sociedade] Em resposta as manifestações de ruas que agitaram, agitam e certamente continuará agitando ainda mais, a presidente Dilma Rousseff sugeriu semana passada, a realização de um plebiscito para discutir mudanças no financiamento de campanha eleitoral e no sistema de votação, o fim dos suplentes no senado, a do voto secreto no congresso e as coligações partidárias para as eleições parlamentares. O engodo ficará evidente se milhões forem gastos para a realização da consulta em setembro ou outubro deste ano, mas que poderá entrar em vigor somente em 2016… Continuar lendo

Por que o financiamento público exclusivo de campanha?

No atual formato de financiamento de campanhas eleitorais no Brasil o Estado disponibiliza recursos, como para garantir os programas eleitorais de rádio e televisão, e os demais recursos são angariados com a iniciativa privada. Inicialmente o sistema parece funcionar, garantindo recursos públicos para o funcionamento do processo eleitoral e privado, com empresários e pessoas físicas. Esses contribuiriam com os candidatos com que mais teriam identidade ideológica. Entretanto, esse sistema enraíza uma prática proibida, antiética e prejudicial ao bom funcionamento de um sistema republicano: o lobby. Continuar lendo