//
você está lendo...
Uncategorized

Festa caipira no Brasil: Em 2015 falta de água preocupa organizadores desses grandes eventos

festa_junina_1805!

Tags:

Batata-doce, Casamento caipira, Festa pagã, Fogueira, Pipoca, Quadrilha, Quentão, Santos católicos e escassez de água

Neste ano de 2015 terá menos propagação para os festejos juninos em todo o Brasil, tudo para economizar água. Preciosidade nos dias atuais.

Quem no Brasil, principalmente quem tem origens no campo, nunca participou de uma festa junina? Mas que festa é esta que encanta brasileiros e estrangeiros, aquece a economia e mantém uma tradição  milenar desde  da Idade  Média? Todos sabemos que a festa junina homenageia três santos: Santo Antônio (13  de junho), São João (24  de junho)  e  São Pedro (29 de junho).

Os referidos santos católicos são homenageados por todos os quadrantes do Brasil, quando os adeptos montam mastro, rezam, dançam, fazem fogueiras, simpatias, pau de sebo, forrós, bandeirinhas, quadrilhas em meio a muita comilança como pamonha, canjica, pipoca, pinhão, quentão e todo tipo de derivados do milho. Tem até quem passa descalço na fogueira em brasa.

famosos

Caipiras modernos…

Os arraiais a céu aberto são animados com sanfonas, bandeirolas multicoloridas, roupas simples de chita, vestuário caipira, chapéus, tranças, casamentos caipiras e muita barulheira de fogos de artifícios, bombinhas, traques e estrondos desconhecidos, não podendo faltar um casamento caipira com animada folia liderada geralmente por um noivo destramelado e uma noiva muito doida e fogosa, padre atrapalhado, pais contrariados que traduzem um casamento às avessas num misto que vai do trágico ao cômico, provocando risos para quem assiste a festança, seja no sul, centro oeste, norte ou nordeste do Brasil.

Na Paraíba, Bahia e demais estados do nordeste brasileiro os festejos juninos animam foliões e lotam cidades. A festa de São João, em Campina Grande, na Paraíba, por exemplo, atrai milhares de pessoas nos festejos que duram dias e dias de animação.

Apesar de não ser feriado nacional, a época das festas juninas é celebrada em todo o Brasil. De origem européia, essas festas são herança longínqua da festa pagã do solstício de verão, que também era celebrada no dia 24 de junho do calendário Juliano (calendário anterior ao gregoriano, utilizado nos dias atuais). Mas sabe-se que tal festa teve origem na Idade Média.

11350570_1008148059207972_541792352636160135_n

Festa Junina Brasil afora

As festas juninas brasileiras podem ser divididas em dois tipos distintos: as festas da Região Nordeste e as festas do Brasil caipira, ou seja, nos estados de São PauloParaná (norte), Minas Gerais (sobretudo na parte sul) e Goiás.

No Nordeste brasileiro, se comemora com pequenas ou grandes festas que reúnem toda a comunidade e muitos turistas, com fartura de comida, quadrilhas, casamento matuto e muito forró. É comum os participantes das festas se vestirem de matuto, os homens com camisa quadriculada, calça remendada com panos coloridos, e chapéu de palha, e as mulheres com vestido colorido de chita e chapéu de palha.

No interior de São Paulo, ainda se mantém a tradição da realização de quermessese danças de quadrilha em torno de fogueiras.

Em Portugal, há arraiais com foguetes, assam-se sardinhas e oferecem-se manjericos, as marchas populares desfilam pelas ruas e avenidas. No Porto, usam martelinhos de plástico nas cabeças de quem passa e alho-porro nas cabeças e no nariz. O costume teve origem nas rusgas que se dirigiam para o bairro das fontaínhas na cidade do Porto; pelo caminho os populares recolhiam os alhos floridos que crescem na época para mais tarde os guardar atrás da porta de casa e assim “dar boa sorte”. A quem não tinha a planta, batia-se com ela na cabeça transmitindo a boa fortuna. No início da década de 1950 o martelinho começou a substituir o alho e hoje é muito mais popular.

Fontes:

www.ebc.com.br/…/saiba-de-onde-vem-a-quadrilha-danca-tipica-das-fest..

http://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_junina

www.saojoaodecampina.com.br/

Carlos Evangelista é jornalista (ESEEI) e especialista em Sociologia Política (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Discussão

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: carlosevangelistajor - 22 de junho de 2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: