//
você está lendo...
Poesia

Não me representam

Mariel Fernandes

Imagem

Não me libertem desse governo, nem de nenhum outro. Não lutem por mim, não marchem em meu nome, não me usem, não seremos amigos. Nem conhecidos, nem haverá risco de erro de afirmarem a meu respeito que desprezo seus métodos e metáforas, os acho grotescos, escusos, secos. Por outro lado, não os mataria, mesmo sem querer, mesmo tendo advogados e seus discursos ensaiados, mesmo possuindo causas aflitas, motivos justos, mesmo assim, não lutem por mim, peço. Não coloquem cartazes, nem vistam camisetas com imagens do Amarildo, o mesmo Amarildo que vocês -tivessem real oportunidade- acorrentariam a um poste.  Dispenso as máscaras, abro mão de toda e qualquer vantagem nascida desse argumento libertador, não subam em minhas costas para chegar a um poder que os fascina a ponto de se desfigurar a obra para  que ela tenha suas imagens, seus gestos e suas formas. Toda vez que gritam, me ensurdecem e deixo…

Ver o post original 189 mais palavras

Anúncios

Sobre a n➐w ame n t e

m e s m O u t r o

Discussão

3 comentários sobre “Não me representam

  1. Sempre perturbador (para os acomodados de má fé), e eletrizante (para os lúcidos de coração). Gracias! Um ótimo poemacotidiano à la “walk on the wildside” , ao som marcante e profundo desnudando os infortúnios da alma humana. É sempre muito bem vinda palavras que nos consolam, mesmo em meio a ruídos ensurdecedores de uma caótica, emblemática e doente ideologia decadente! Afinal, vivamos e convenhamos. Abraços amigo, e meu agradecimento em compartilhar esta benção!

    Publicado por Eder Silva | 11 de fevereiro de 2014, 2:59 pm
  2. Fala amigo Eder, é sempre bom encontrar outsiders ‘mundo adentro e àfora’! O blog do Mariel é cheio de belos textos vulcânicos. Abraço

    Publicado por anovamente | 12 de fevereiro de 2014, 8:31 am
  3. Nao da pra acreditar em tamanho dispararate onde estao nossos comandos do nosso exercito assim nao da pra acreditar onde um ze dirceu e genuino ainda dao ordens assim abrem nossas fronteiras para tudo que e tipo de vagabundos entrarem .

    Publicado por oscar andre da silva | 26 de agosto de 2014, 7:43 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: