//
você está lendo...
Carlos Evangelista, Cotidiano

Golpe da barriga em vasectomizado e pobre

images -  barriga
O universo virtual é mesmo cheio de histórias pitorescas para não recorrer a outros tantos adjetivos.
Dia desses Luís Victor, 60 anos, conheceu Luara, uma mulher de 51 anos. Conversaram na ponta dos dedos, marcaram um encontro e foram jantar. Com a forte chuva que estava decidiram passar a noite num motel, porém nada aconteceu porque a mulher não estava lá nos seus melhores dias e alegava não estar preparada para maiores intimidades. Com o motel pago, o negócio foi conversar e dormir até o dia raiar. Nos dias seguintes muitas mensagens de agradecimentos por parte dela diante da atitude compreensiva de Luís Victor.
Alguns dias depois mais um encontro regado a vinho. O clima esquentou e ambos se entregaram. Não sem antes ela exigir o uso da camisinha. Carícias pra lá e pra cá, a gostosura e delícias do põe e tira, ela meio travada pediu que desejava sentir tudo dentro dela. Rebolou, chorou, gritou, gemeu se avermelhou, transpirou e toda descabelada gozou demoradamente. Ou muito bem fingiu tanto gozar.
Ela, num olhar na cama, viu o preservativo jogado sobre cama e entrou em parafuso. Com menos de duas horas saíram do motel direto para uma farmácia comprar uma tal pílula do dia seguinte. Quinze reais por uma única doze. Ela abriu a caixinha, pegou a garrafa de água mineral e tomou a água dizendo que o comprimido havia caído dentro do carro dela em meio a um amontoado de papeis e objetos. O comprimido sumiu. Acho que foi só uma impressão de mal estar. Mulher na menopausa altera-se toda muito rapidamente.
A troca de fotos e mensagens foi intensa nos quatro dias seguintes. Estou indisposta, sonolenta, nervosa, vou ao médico medir a depressão, escreveu Luara.
Graças a Deus está tudo bem comigo, penso que devemos comemorar. Ok, vamos sim, amanhã pego você e juntos ficaremos a noite toda. O encontro aconteceu com flores e mimos, falaram de problemas familiares, financeiros, brigas, os males da depressão, bebedeira, extravagâncias, amigos de churrascos, trabalho, liberdade e muito mais. O dia amanheceu, sem transa. Ela não quis alegando indisposição.
No mesmo dia, disse ela por telefone; sabe Luís Victor, aqueles sintomas voltaram. Ah, fui ao médico e ele disse que estou grávida de três semanas. Quero saber se você vai assumir a sua parte ou vou precisar arrolar você na justiça? Vou querer no mínimo a pensão alimentícia, uma boa ajuda de custo durante a gravidez. Luís Victor quase enfartou. Mas logo questionou:

Espera aí, pensou ele, é possível uma mulher de 51 anos, ter ficado grávida numa única transa, sem o gozo dele? Os médicos dizem que sim. Repensou Luís Victor, mas pode um vasectomizado engravidar? E quanto a pensão de 30% do salário do operário de chão de fábrica. Dos 700 reais, 210 vai pra ela? E se o DNA confirmar que é dele? E se não for?
Na minha leiguice, penso que certo é que essa daí quer dar o golpe da barriga (coisa feia para uma mulher cinquentona). E a história da pílula do dia seguinte, para que serviu? Ele só queria ver até onde renderia essa história e deu nisso. Melhor mesmo é arrumar outro pai (se possível rico) para seu filho, cinquentona com cabeça imaginária de 20. Uma Leoa indomesticada. Depressão requer atenção antes de incriminar uma pessoa do bem. O plano pode gerar pagamento do advogado de defesa e danos morais ao suposto pai e principalmente a criança se é que existe. Diálogo pode favorecer as partes futuramente. Fico a perguntar por que ainda a prática do golpe da barriga ou outro distúrbio emocional diante de um vasectomizado e pobre? Seria vingança e do quê?

1732fdc11edb2657f33fdbce8c103e57
Seria acomodação, indução, modalidade virtual em moda, safadeza ou burrice mesmo? Quero fazer o DNA para ver você perder o amigo e pagar o meu advogado, resumiu Luís Victor. Chamam isso de modernidade nas relações carnais imaginárias ou é porque são pessoas lunáticas? Tudo a vê, ainda que demore via justiça comum.

“GRAVIDEZ PROVOCADA COM INTUITO DE RECEBER PENSÃO ALIMENTÍCIA.

NÃO FAZ JUZ A PENSÃO ALIMENTÍCIA A MULHER QUE ENGRAVIDAR PROPOSITADAMENTE. PROVADO QUE O HOMEM NÃO FORÇOU A RELAÇÃO E QUE NÃO CONVIVE COM A MULHER HÁ MAIS DE 03 MESES EM UNIÃO ESTÁVEL OU QUALQUER OUTRO REGIME DE COMUNHÃO, DESCABIDA A PENSÃO SOB QUALQUER HIPÓTESE, CABENDO A MULHER O DEVER DE SUSTENTO DO FILHO E CONDENAÇÃO CRIMINAL POR SEDUÇÃO AO HOMEM.

A Gravidez provocada pela mulher de forma proposital impede de fazer jus a pensão alimentícia, considerando que a relação não foi forçada e que o convívio com o marido, companheiro e/ou namorado não tenha sido superior a 03 meses de relação. Em caso de nascimento da criança, o dever de sustento é exclusivo da mulher, sendo a mesma responsável criminalmente pelo crime de sedução ao Homem”- proposta de Lei.
Fonte: http://www.jusbrasil.com.br/golpedabarriga

Carlos Evangelista é jornalista (ESEEI) e especialista em Sociologia Política (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Discussão

2 comentários sobre “Golpe da barriga em vasectomizado e pobre

  1. Tudo muito estranho; se é que podemos usar essa palavra. bj!

    Publicado por rosaniabastos | 27 de janeiro de 2014, 8:33 pm

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: carlosevangelistajor - 27 de janeiro de 2014

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: