//
você está lendo...
Instituições e Processos Políticos, José Augusto Hartmann

Breve história política do Brasil (período imperial)

Desde o Império, o Brasil vem sofrendo modificações em seu sistema político. Logo após a independência em relação a Portugal as forças políticas instituídas começaram a discutir como se daria a nova organização. Nesse momento o país não era representado por partidos fortes, pois vinha de um absolutismo que ainda, em muitos aspectos, se manteria. Dois grupos partidários se elevaram, portugueses e brasileiros, mas, mesmo após a Constituição de 1824, com mão-de-ferro, foi o Imperador, por meio de uma inovação(inspirada no modelo inglês) não muito sutil, a criação de um quarto poder, o Poder Moderador (seu poder de revisor), que reinou com grande autonomia. Apesar de ter criado o Senado em 1826, era o Conselho de Estado o órgão mais próximo das decisões governamentais.

Dom Pedro I era o grande responsável pela separação política entre Portugal e Brasil. Obviamente sofreu sérias pressões até decidir-se pela ruptura, mas, assim, tinha prestígio para reinar. Após deixar a nova nação e retornar para o trono português no início da década de 1830, novamente o país sofreria uma forte crise interna, o que poderia levar à sua dissolução. Muito jovem para reinar, Pedro de Alcântara, filho do Imperador ido, era tutelado por um grupo de regentes que representava as antigas elites do Primeiro Reinado. Nascia nessa época o Partido Liberal, representante, sobretudo, dos fazendeiros do Centro-Sul.

Durante o período regencial, “liberais exaltados”, como os farroupilhas do extremo sul, se levantariam contra a ordem instituída. Outras províncias começavam a mostrar maior força, entretanto ainda não tinham representatividade no governo central. A instabilidade que houvera no período foi resolvida pelo Golpe da Maioridade, que declarou o jovem Pedro capaz aos 14 anos. Iniciava-se o Segundo Reinado. Nesse período já haviam partidos consolidados e com representatividade. Liberais e Conservadores disputavam o poder e o gosto do Imperador.

A ordem institucional do período seria abalada somente na década de 1870 devido a problemas do Império com a Igreja e com o Exército. Essas duas instituições passariam a mostrar sua influência, que seria muito percebida durante o século XX. Em 1889 o Império era extinto e iniciava-se o período republicano no Brasil.

José Augusto Hartmann é filósofo (FACEL) e historiador (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Discussão

2 comentários sobre “Breve história política do Brasil (período imperial)

  1. pô vai falando mais sobre isso aí… hehe… essa fecundação do Brasil muito nos interessa e acredito que é essencial para respeitarmos (amarmos é um pouco demais) o país do qual nascemos…

    Publicado por anovamente | 19 de outubro de 2012, 12:18 pm
  2. rsrsrs… fecundação foi ótimo…isso nos remete as características fisiocratas dessa rica nação…

    Publicado por joseaugustohartmann | 19 de outubro de 2012, 7:17 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: