//
você está lendo...
Carlos Evangelista, Comunicação Política

Eleições 2012: Eleições municipais, a mais apaixonante das campanhas

Mídia eletrônica ajuda candidatos na exposição das propostas

Faltando menos de 45 dias para as eleições de 7 de  outubro, os  eleitores começaram esta semana conviver  com  a propaganda  no  radio  e na  Tv. Políticos mais  experientes  acreditam  que  o  horário  eleitoral muito  ajudará  na  campanha, porém  tem  surgido  cada  tipo  de  candidato hilário,  que demonstram  nenhuma  afinidade  com o que  se propõem a  defender.

Mas o horário gratuito do radio e TV é obrigatório e o povo  degusta  o momento  da melhor  maneira. Tem quem gosta, tem aquele que só ouve e assiste de vez em quando. Tem quem detesta e desliga tudo neste horário. Tem quem acha engraçado, tem quem  grava para  curtir  depois. Tem quem decide o voto a partir da apresentação desse  ou  daquele  candidato, por  diversos  motivos. Mas também tem aquele candidato que perde votos com aquilo que fala. Tem quem critica político que não é candidato e aparece na TV já pensando nas próximas  eleições. Tem quem curte, compartilha, provoca briga e posta mil e uma bobeiras na Internet.

Nas ruas, o amontoado de placas confunde as pessoas, são tantas imagens bonitas e feias. Cada qual quer aparecer como alternativa viável para a Prefeitura ou Câmara Municipal. O povo, agora carinhosamente chamado de eleitor fica observando todo esse movimento. Alguns, ainda indiferentes aos apelos das propagandas. Outros começam a pensar neste ou  naquele candidato. As vezes  um simples  aperto  de mão define  o voto. Mas tem gente que se  aproveita do momento  para pedir  isso  e  aquilo, como moeda  de  troca. Da mesma forma tem candidato que oferece gasolina para propagação através de um simples adesivo, para colocação de uma placa na casa de alguém, etc e tal.

Do outro lado está a Justiça Eleitoral intermediando os conflitos entre os candidatos mais afoitos que excedem no poder econômico, no descumprimento da lei eleitoral, nos discursos que viram agressões e daí tome processos, multas, penalidades e outras medidas cabíveis. Tanto é que a Justiça comum praticamente para com o julgamento de outras ações que não sejam de cunho eleitoral.

Contudo, é esse exercício democrático que torna as eleições municipais a mais apaixonante das campanhas, porque é o momento certo para se falar e defender a aldeia de cada um, sem aquele sentimento de que política é coisa suja. Ao contrário, este é o momento de se discutir e exercitar a democracia política.

Carlos Evangelista é jornalista (ESEEI) e especialista em Sociologia Política (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: