//
você está lendo...
Carlos Evangelista, Comunicação Política

Eleições 2012: Metrô gera discussão no primeiro debate eleitoral de Curitiba

Seis candidatos participaram do evento. Debate teve duração de 3 horas.

Fonte: Gazeta do Povo, 03/08/12, reprodução (clique)

O primeiro debate eleitoral da campanha pela prefeitura de Curitiba teve 3h15 de duração e contou com a participação de seis candidatos. O debate começou às 21h45 de quinta-feira (2) e foi encerrado por volta da 1 hora de sexta-feira (3). O evento foi organizado pela TV Bandeirantes e teve transmissão interativa da Gazeta do Povo.

Inicialmente, os candidatos Bruno Meirinho (PSol), Gustavo Fruet (PDT), Luciano Ducci (PSB), Rafael Greca (PMDB) e Ratinho Júnior (PSC) foram convidados para o debate. Carlos Moraes (PRTB) conseguiu liminar para participar do evento. Ficaram de fora Avanilson Araújo (PSTU) e Alzimara Bacellar (PPL), pois seus partidos não têm representação na Câmara Federal.

Logo no primeiro tema sorteado – mobilidade urbana –, o transporte coletivo do município foi colocado em xeque. Fruet afirmou, por exemplo, que Curitiba é a única capital do Sul e Sudeste que vem perdendo passageiros por causa da queda na qualidade do serviço.

Já Greca acusou a gestão de Ducci de tratar o trânsito como um negócio privado e não como um serviço público: “São os radares malditos em cada esquina, prontos para multar com suas imagens corrompidas. Vou acabar com os radares caça-níqueis e substituí-los por lombadas eletrônicas”.

No contra-ataque, Ducci destacou seus feitos como prefeito e citou projetos como o do Ligeirão e do metrô. “Curitiba tem obras viárias por todos os cantos, tudo para dar fluidez ao trânsito. O metrô, por exemplo, foi uma batalha nossa em Brasília, que será realidade nos próximos quatro anos”, disse.

O metrô, inclusive, foi tema de discórdia entre ele e Ratinho. O candidato do PSC atribuiu a si próprio a inclusão de recursos para a obra no orçamento da União. Ducci, por outro lado, afirmou que, na verdade, o dinheiro está previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do governo federal.

Já no debate sobre habitação, Fruet criticou a atuação da Companhia de Habitação de Curitiba (Cohab) e a suposta criação da Secretaria de Habitação para acomodação de interesses eleitorais – o primeiro a assumir a pasta foi o deputado estadual Osmar Bertoldi (DEM), que era cotado para vice Ducci. “Temos de fortalecer o quadro funcional e o papel Cohab, que passa por uma situação de depressão”, atacou. Em complemento, Ratinho acusou Ducci de entregar moradias sem infraestrutura necessária, que seriam “depósitos de gente”.

“Não temos depósito de gente, mas um trabalho muito articulado para oferecer moradia digna à população que vive em áreas de risco”, afirmou o prefeito. Logo em seguida, Ducci passou a dar destaque à sua ligação com o governador Beto Richa (PSDB), citando ações que ambos realizaram quando o tucano era prefeito. Ao ser questionado sobre o aumento da criminalidade na cidade, por exemplo, Ducci citou as Unidades Paraná Seguro (UPSs), que estão sendo instaladas numa parceria da prefeitura com o governo do estado.

Antes do início do debate

O prefeito Luciano Ducci (PSB) chegou acompanhado do candidato a vice, Rubens Bueno (PPS), e do vice-governador, Flávio Arns (PSDB). Ele cumpriu a promessa de ir de ônibus ao debate. Mas era um ônibus alugado para o transporte dele e dos correligionários, e não um ônibus de linha.

Ao comentar o fato de estar a poucos minutos de participar do primeiro debate da sua vida, Ducci reconheceu que estava com um pouco de ansiedade. “Mas a minha preparação foi conhecer bem a cidade. Hoje, por exemplo, passei o dia inteiro visitando obras”, afirmou o prefeito de Curitiba e candidato à reeleição.

Gustavo Fruet (PDT) chegou acompanhado apenas da esposa, a jornalista Marcia Oleskowski. “Farei um debate propositivo. Me preparei [para o debate] a vida inteira, desde quando meu pai [Maurício Fruet] era prefeito”, disse o candidato do PDT.

Bastidores

Fatos curiosos marcaram o primeiro debate eleitoral para a prefeitura de Curitiba

Trupe

O prefeito e candidato à reeleição, Luciano Ducci (PSB), compareceu ao debate acompanhado do vice, Rubens Bueno (PPS), e de Flávio Arns (PSDB), vice de Beto Richa (PSDB). O governador, no entanto, estava viajando e não pôde dar uma força ao aliado.

Cadê?

Beto Richa não foi o único ausente. Os grandes padrinhos de Gustavo Fruet (PDT), Gleisi Hoffmann e Osmar Dias, e de Rafael Greca (PMDB), Roberto Requião, também não compareceram.

Primeirão

O candidato Carlos Moraes (PRTB) – que teve o registro de candidatura impugnado, mas recorre na Justiça Eleitoral – conseguiu uma liminar para participar do debate e não quis dar chance ao azar. Foi o primeiro a chegar à sede da Band TV, bem antes do horário marcado para o início do debate.

Tenor

O candidato Rafael Greca (PMDB) foi o último a chegar ao debate. Os repórteres pediram para falar com ele na entrada da emissora, mas Greca disse que não poderia: “Sou um tenor e não posso ficar no sereno”, brincou.

Do outro lado

O ex-deputado Marcelo Almeida, embora continue filiado ao PMDB, foi à Band não para dar apoio ao candidato do partido, Rafael Greca, mas sim para acompanhar Ratinho Jr. (PSC), que “adotou” como candidato.

Debate Morno

Quem ficou acordado até mais tarde, ontem, esperando um debate “pegando fogo” entre os candidatos à prefeitura de Curitiba, foi dormir frustrado. No primeiro confronto entre os concorrentes ao cargo máximo da cidade faltaram polêmicas e discussões mais acaloradas e sobraram temas mornos. Sem dúvida, a grande surpresa da noite foi a aparição de Carlos Moraes (PRTB), que depois de ter a candidatura ameaçada pela Justiça Eleitoral – por dupla filiação -, conseguiu uma liminar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e pôde se juntar a seus oponentes na mesa redonda televisionada. No mais, poucas alfinetadas e discursos equilibrados marcaram a transmissão.

Carlos Evangelista é jornalista (ESEEI) e especialista em Sociologia Política (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Discussão

Um comentário sobre “Eleições 2012: Metrô gera discussão no primeiro debate eleitoral de Curitiba

  1. Acho no mínimo curioso a não participação dos candidatos do PSTU e do PPL. Convenhamos que esse partidos não tem representação na câmara federal, mas como eles vão se fazer conhecidos (e ouvidos) se nos debates eles não podem participar?
    Por outro lado, Curitiba está nas mãos de um todos contra um. Gustavo Fruet, Rafael Greca e Ratinho Júnior, demonstram uma grande preocupação em atacar a atual gestão, mas não em apresentar soluções. E o prefeito que se vire…
    Atento à exceção dos radares (abordada pelo candidato peemedebista), onde o candidato diz que instalaria lombadas eletrônicas, eu somente imagino os donos de empresas que instalariam e fariam a manutenção dessas lombadas aplaudindo efusivamente esse discurso…
    Temos exatamente o que eles esperam, candidatos distantes da realidade do povo (só pra citar o ônibus fretado) e um povo que vai escolher o “menos pior” ou o que tiver maior apoio da massa (com trocadilho, sim).

    Publicado por Allan | 10 de agosto de 2012, 9:19 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: