//
você está lendo...
Ciência Política, Eder Silva

A ASCENDÊNCIA DOS SOCIOPATAS NO GOVERNO DOS E.U.A. – PARTE I

Nesta postagem publicarei a primeira parte de um artigo que identifica algumas reflexões da política interna no atual governo norte-americano. Este artigo foi traduzido por um amigo, Fábio Sandi, que viveu em diversos países como Cuba, Nova Zelêndia, Inglaterra entre outros.

Respeitei a integridade do texto, não resumindo, o que leva algum tempo a leitura na íntegra, mas, fará com que haja entendimento nas idéias do autor.

Um homem internacional vive e faz negócios onde ele acredita encontrar as condições mais vantajosas, desconsiderando as fronteiras arbitrárias. Ele diversifica globalmente, com passaportes de múltiplos países, ativos em diversas jurisdições e sua residência em outra diferente destas. Ele não depende absolutamente de nenhum país e os considera como competidores por seu capital e seu conhecimento.

Viver como um homem internacional costumava ser apenas uma possibilidade interessante. Mas poucos americanos optaram por isto, pois os EUA costumavam recompensar aqueles que se estabeleciam e criavam raízes. De fato, recompensava estas pessoas melhor que qualquer outro país no mundo, então, não existia nada pressionando-os a se tornarem pessoa internacional.

As coisas mudaram, e, entretanto, ficar enraizado como uma planta, se ao menos você tem uma escolha, é uma estratégia mediana para sobreviver e prosperar. Através da história, quase todo lugar em algum momento se tornou perigoso para aqueles que ficaram enraizados. E talvez seja a vez dos EUA serem este lugar.

Para aqueles que podem seguir a vida de um homem internacional, não é mais apenas a decisão por um estilo de vida interessante. Tornou-se, no mínimo, uma maneira de preservar seus ativos, e talvez a vida também. Isto dito, eu entendo a hesitação que você possa sentir de entrar em ação; arrancando as raízes de alguém (ou ao menos enxertando um pouco destas raízes em algum novo local) pode ser quase tão traumático para um homem quanto para uma planta.

Como qualquer observador inteligente que pesquisa o cenário da economia e política do mundo, ele tem que estar distribuído – até alarmado, e um pouco assustado – pela gravidade e numero dos problemas que marcam o horizonte. Nós estamos confrontados por uma depressão econômica, na iminência de um caos financeiro, grave inflação das moedas, e, pior de tudo, a perspectiva de uma grande guerra. Parece-nos quase inacreditável que estamos falando dos EUA – o qual historicamente tem sido a terra da liberdade.

Como chegamos aqui? Um erro de cálculo, acidente, falta de atenção entre outros fatores do gênero são os motivos porque as coisas dão errado. Estes elementos têm o seu papel, mas é pequeno. Uma catástrofe em potencial não pode ser resultado de mero acaso. Quando as coisas dão errado em grande escala, não é apenas falta de sorte ou advertência. É por falta de caráter de uma ou mais – ou talvez todas – pessoas envolvidas.

Então há uma causa básica para todos os problemas que eu citei? Se conseguirmos encontrá-la, poderá nos dizer como podemos pessoalmente responder aos problemas.

Neste artigo, irei argumentar que o governo norte americano, em particular, está sendo administrado pelo tipo errado de pessoas. É uma tendência em movimento por muitos anos, mas que agora alcançou o ponto de não retorno. Em outras palavras, um tipo moralmente apodrecido tornou-se tão prevalente que é institucional em natureza. Não haverá, entretanto, nenhuma mudança de direção séria na qual os EUA está direcionado até que, uma crise genuína se passe pela ordem existente. Até este momento, a tendência será acelerar.

A razão é que uma determinada classe de pessoas – sociopatas – estão agora no controle total da maioria das instituições americanas. Suas crenças e atitudes são insinuadas através da fábrica econômica, política, intelectual e psicológica/espiritual dos EUA.

O que isto representa para o indivíduo? Isto depende do seu caráter. Você é o tipo de pessoa que apoia “seu país certo ou errado”, como a maioria dos alemães na década de 30 e 40, ou o tipo que se esquiva da obrigação para ser um ajudante dos assassinos? O tipo de passageiro que afunda com o barco ou o tipo que veste o colete salva vidas e procura pelo bote? O tipo de indivíduo que apoia os negociantes que oferecem o melhor negócio ou o tipo que se ludibria com comerciais de TV?

O que a ascendência dos sociopatas significa não é uma questão acadêmica. Através da história, este ponto tem sido questão de vida ou morte. Esta é uma razão pela qual os EUA cresceu; todo americano (ou qualquer ex – colonial) tem antepassados que confrontaram a questão e decidiram desenraizar-se e ir em direção de um local com melhores perspectivas. Os perdedores foram aqueles que demoraram a pensar sobre o assunto até o ultimo minuto.

Eu tenho me descrito com frequência, àqueles com quem eu prefiro me associar, como os ratos gamma. Você deve lembrar as caracterizações etiológicas da interação social dos ratos como sendo entre alguns poucos ratos alfa e muitos ratos beta, os ratos alfa são dominantes e os betas submissos. Além destes, uma pequena percentagem são ratos gamma que se privilegiam dos melhores territórios e parceiras (os), como os alfas, mas não estão interessados em dominar os betas. As pessoas mais inclinadas a partir para o extenso mundo exterior e buscar fortuna em algum outro lugar são tipicamente as personalidades gamma.

Você pode estar pensando que o que aconteceu em locais como a Alemanha nazista, União soviética, a China de Mao, o Cambodja de Pol Pot e tantos outros países na história recente não poderia, por alguma razão, acontecer nos USA. Na realidade, não há nenhuma razão neste momento para isto não acontecer. Todas as instituições que tornaram os EUA excepcionais – incluindo uma crença no capitalismo, individualismo, auto dependência e restrições à constituição – são agora apenas artefatos históricos.

Por outro lado, a distribuição dos sociopatas é completamente uniforme através de ambos, espaço e tempo. Não existiram mais pessoas más per capita na Rússia de Stalin, na Alemanha de Hitler, na China de Mao, Uganda de Amin, Romênia de Ceausescu ou no Cambodja de Pol Pot do que existe hoje nos EUA. Tudo que se precisa é uma condição favorável para eles desabrocharem como cogumelos após uma tempestade.

As condições para estes, estão se tornando muito favoráveis. Você já se questionou de onde vieram 50.000 pessoas empregadas pela *TSA para inspecionar e degradar? A maioria delas são de meia idade. Alguns deles tinham empregos antes de começarem a fazer algo que qualquer pessoa normal consideraria vergonhoso? A maioria tinha, mas sentiram-se atraídos – e não repelidos – a um trabalho onde podem usar uma fantasia e abusar dos seus compatriotas todos os dias.

Alguns deles conseguem imaginar que estão pastoreando em uma polícia estatal enquanto representam seus papéis em um teatro seguro. (uma porta na cabine do piloto é o que provavelmente fosse necessário, entretanto a solução mais eficaz seria dar a responsabilidade da segurança e danos para cada companhia aérea que falha em providenciar esta segurança para passageiros e terceiros.) Mas os 50.000 novos funcionários são exatamente o mesmo tipo de pessoas que se juntaram a Gestapo – com vontade de ajudar no projeto de controlar todos. Ninguém foi arrastado para a Gestapo.

O que está acontecendo aqui é um exemplo da lei de Pareto. É a regra do 80 – 20 que nos diz por exemplo, que 80% das vendas vem de 20% dos seus vendedores, ou que 20% da população é responsável por 80% dos crimes.

Como eu vejo isto, 80% das pessoas são basicamente descentes; seus instintos básicos são viver pelas virtudes dos escoteiros. 20% das pessoas, entretanto, são o que se pode chamar de potenciais fontes de problema, inclinados a fazer a coisa errada quando a oportunidade se apresentar. Eles podem ser agora vendedores de calçados, carteiros, garçonetes – eles parecem perfeitamente benignos em momentos normais. Eles jogam Baseball nos finais de semana e ficam com o cachorro da família. Entretanto, dada a chance, eles irão afiliar-se a Gestapo, A Stasi, KGB e TSA, Departamento de Segurança Nacional ou qualquer outra instituição. Muitos são bem intencionados, mas tendem a favorecer a força como solução para qualquer problema.

Mas isto não acaba por aí, porque 20% dos 20% são verdadeiros maus atores, eles são puxados para o governo e outras posições onde eles podem impor suas vontades sobre os outros e, porque são entusiasmados pelo governo, chegam aos postos de liderança, refazem a cultura das organizações que eles administram em sua própria imagem. Gradualmente, as pessoas que não são sociopatas não conseguem mais ficar lá. Eles saem. E logo o barril está completamente cheio de maçãs estragadas. Isto é o que está acontecendo nos EUA hoje.

É uma pena que Bush, quando estava no comando, deu tanta importância para o mal. Ele tirou o crédito deste conceito. Fez *Boobus Americanus pensar que existe apenas em um eixo distante, em lugares como a Coréia do Norte, Iraque e Iran – onde eram e ainda são remansos irrelevantes e inimigos arbitrariamente escolhidos. Bush trivializou o conceito de mal e o fez parecer banal porque ele foi um grande tolo. Enquanto isso o mal verdadeiro, muito imediato e poderoso, estava crescendo bem ao seu redor, e lhe faltou conscientização para ver que ele estava instigando isto com o fato de tornar os EUA um Estado de segurança nacional após 11 de setembro.

Agora acredito que isto esteja fora de controle. Os EUA está em uma verdadeira grande depressão e no limiar de um caos financeiro e destruição de moedas. Os sociopatas no governo reagirão dobrando o ritmo em direção a um Estado polícia domesticamente e iniciando uma grande guerra no exterior. Para mim, isto é completamente previsível, é o que os sociopatas fazem.

Existem sete características que acredito definirem um sociopata, ainda que esteja seguro que esta lista possa ser extendida:

  1. Sociopatas não tem nenhum tipo de consciência ou capacidade de arrependimento real em machucar pessoas. Ainda que finjam o contrário.
  2. Sociopatas colocam seus próprios desejos e vontades em um nível totalmente diferente daqueles de outras pessoas. Suas vontades são em total desacordo. Eles realmente acreditam que os seus meios justificam os fins. Ainda que finjam o contrário.
  3. Sociopatas consideram-se superiores a todos porque eles não são atingidos pelas emoções e éticas dos outros – eles estão acima de tudo isto. Eles são arrogantes. Ainda que finjam o contrário.
  4. Sociopatas nunca aceitam o mínimo de responsabilidade por praticamente nada que dê errado, mesmo que sejam responsáveis por quase tudo que dê errado. Você nunca ouvirá uma desculpa verdadeira deles.
  5. Sociopatas tem uma noção distorcida dos direitos de propriedade. O que é deles, é deles, e o que é seu, é deles também. Portanto, eles defenderão inflação das moedas e impostos como coisas boas.
  6. Sociopatas geralmente escolhem o alvo errado para atacar. Se eles perdem suas carteiras, chutam o cachorro. Se 16 Sauditas jogam aviões em dois prédios, eles atacam o Afeganistão.
  7. Sociopatas transitam em noticiários perturbantes, eles amam repassar rumores destrutivos e irão falsificar informações para prejudicar os outros.

O fato que eles são crônicos, extremamente convincentes e ainda mentirosos entusiasmados, que geralmente acreditam em suas próprias mentiras, significa que não são fáceis de identificar, porque as pessoas normais naturalmente assumem que outra pessoa esteja falando a verdade. Eles raramente têm bigodes longos fazendo curvas ou abafam suas risadas como o personagem vilão do desenho animado Snidely Whiplash. Ao invés disto eles cultivam uma camada social ou uma máscara de sanidade que diverge as suspeitas. Você pode contar com eles em serem “politicamente corretos” em público. Como poderia um deputado ou senador que apóia a caridade avidamente ser uma pessoa má? Eles são especialistas em usar fachadas para despistar a realidade, e não sentem culpa por isto.

As elites políticas são primeiramente, e às vezes, exclusivamente compostas por sociopatas. Não é apenas que eles não sejam seres humanos normais. Eles praticamente não são humanos, uma sub espécie separada, diferenciada por suas qualidades psicológicas. Um ser humano normal pode se relacionar com estes espiritualmente e psicologicamente, quase tão furtivamente um humano moderno poderia se relacionar fisicamente com um homem de Neandertal; pode ser feito, mas os resultados não serão bons.

É um problema sério quando a sociedade se torna altamente politizada, como é agora o caso dos EUA e Europa. Nos tempos normais, um sociopata se mantem abaixo do radar. Talvez ele irá cometer um crime comum quando pensar que pode se safar deste, mas os costumes sociais o mantém no controle. Entretanto, uma vez que o governo mude sua ênfase de proteger os cidadãos da força para iniciar força com leis e impostos, aqueles costumes sociais se desfazem. Pressão, em conjunto com aprovação social, desonra moral, as forças que mantêm uma sociedade ordenadamente saudável, são substituídas por regras impostas por policiais pagos pelos impostos. Sociopatas percebem isto, saem dos seus esconderijos, e são arrastados para o Estado e suas burocracias e agências regulatórias, onde eles podem se legalizar e serem pagos para fazer o que sempre quiseram fazer.

Na verdade é muito simples. Existem duas maneiras que as pessoas podem se relacionar: voluntariamente ou coercivamente. O governo é puramente coercivo, e sociopatas são puxados por este poder e força.

A maioria dos americanos irá aceitar a situação por duas razões: uma, eles não têm mais uma base filosófica para evitarem ser levados pela maré. Não têm mais crenças sólidas, e a maioria de suas opiniões – “Precisamos de um sistema de saúde nacional”, “Nossas bravas tropas devem lutar contra o mal lá, para não termos que lutar aqui”, “Os ricos devem pagar uma parte mais justa” – são reativas e confortantes. O papel dos assessores de imagem é produzir pequenos pontos que esquivam relacionar isto com a realidade. E dois, eles se tornaram muito mimados e confortáveis, uma nação de perdedores e super alimentados, pedintes que gostam do status quo sem imaginar o quão longe isto possivelmente poderá ir.

Não faz sentido tagarelar sobre a Terra da Liberdade e Lar dos Bravos, quando programas de reality shows e tumultos no Walmart estão muito mais pertos da verdade. A maioria dos americanos está, obviamente, onde a podridão se origina – os candidatos presidenciais gastam milhões tentando descobrir como estão se saindo na mídia e opinião pública, regurgitando para eles mesmos o que parecem querer ouvir. Uma vez que o país compre a idéia de que um estilo de vida privilegiado e acima da média é o mínimo a se ter, quando alguns poucos afortunados podem pressionar por acordos especiais para retirar tudo que podem, enquanto espremem a riqueza dos outros a força, este país está em declínio. Fazer Lobby e impostos ao invés de produção e inovação nunca conseguiu sustentar prosperidade. Para espremer esta riqueza demorou séculos, mas isto não é inesgotável.

Sob esta luz, foi interessante escutar de Mitt Romney, presumidamente o candidato Republicano, falar recentemente sobre as classes baixa, média e alta. Romney é um terno vazio apenas marginalmente melhor que o último candidato republicano, o hostil e um pouco demente John McCain. De qualquer maneira, Romney está certo sobre os pobres em uma maneira – existe uma “rede de seguridade”, no momento segurando 50 milhões de pessoas no sistema de saúde e 46 milhões de pessoas em programas de benefícios para cesta básica, entre muitos outros tipos de bolsas auxilio. E ele está certo sobre os ricos; não há necessidade de se preocupar com eles agora – ao menos até a revolução iniciar. Ele diz se preocupar com a classe média, não que as suas preocupações irão ajudá-los em algo. Mas ele está certo que o problema está na classe média. É apenas um tipo de problema diferente do que ele pensa.

As pessoas geralmente entram em uma classe econômica por causa de sua psicologia e valores. Cada uma das três classes tem um perfil psicológico característico. Para a classe baixa, é a apatia. Eles não têm nada, eles se abaixam e não se importam com nada. Eles não estão no jogo e não farão nada e se resignam à sua fé. Para a classe alta, é a ganância e arrogância. Eles têm tudo, e acreditam merecer isto – merecendo ou não. A classe média – ao menos no mundo atual – está dominada pelo medo. Medo que estejam apenas a um salário de cair para a classe baixa. Medo que eles não possam pagar suas dívidas ou não possam emprestar mais. Medo que não tenham um prospecto realista que possam melhorar.

O problema é que medo é uma emoção negativa, perigosa e potencialmente explosiva. Ela pode facilmente se tornar em raiva e violência. Exatamente aonde isto nos levará é imprevisível, mas não é um bom lugar. Um ponto que exacerba esta situação é que agora todas as três classes dependem do governo, embora de maneiras diferentes. Falência do governo irá afetar todos drasticamente.

Com os sociopatas no poder, poderíamos ver muito bem o experimento de Milgram recriado em escala nacional. Neste experimento, você pode lembrar, os pesquisadores pediam aos membros do publico para torturar sujeitos (sujeitos, que sem conhecimento das pessoas recrutadas, eram atores pagos) com choques elétricos, até o ponto que eles acreditavam ser uma dose fatal. A maioria deles faziam a pedido, assegurando-se que não tinha problema algum, e acreditando que era necessário para com as autoridades. Os homens que estão em posições de autoridade atualmente são quase em totalidade sociopatas.

O que fazer

 Uma questão prática que vale a pena refletir é como você, alguém com valores libertários, irá administrar em um futuro cada vez mais controlado por sociopatas. Minha estimativa será negativa, a não ser que você comece a tomar atitudes para se isolar. Isto é por causa da maneira que quase todas as criaturas são programadas pela natureza. Existe um imperativo em comum para todos eles: Sobreviver! As pessoas, obviamente, querem fazer as coisas como indivíduos. E como famílias. De fato, eles querem que todos os grupos aos quais eles pertencem sobrevivam, simplesmente porque (todo o resto sendo igual) isto deve ajudá-lo a sobreviver como individuo. Portanto, indivíduos marinheiros querem que a marinha sobreviva. Indivíduos membros dos Rotary Club querem que este sobreviva. Indivíduos católicos tendem a defender a igreja católica.

É por isso que os indivíduos alemães, durante a segunda guerra mundial, eram como dito anteriormente, “executadores dispostos” – eles estavam apoiando o Reich pelas mesmas razões que os marinheiros e católicos suportam seus grupos. E principalmente, porque o Reich estava sob ataque de todos os lados. Então é claro, eles seguiram ordens e entregaram seus vizinhos que aparentavam não estar tão entusiasmados. Não apoiar o Reich – ainda que eles soubessem que houvesse alguns aspectos repugnantes – pareceu um convite para exércitos invasores virem e violentarem suas filhas, roubar suas propriedades e provavelmente matá-los. Então é claro, os alemães fecharam os postos em volta dos seus líderes, ainda que todos no topo fossem sociopatas. Você pode esperar que os americanos ajam da mesma forma.

Os americanos já fizeram isto anteriormente, quando o país era muito menos degradado. Durante a guerra entre Estados, ainda que, dizendo algo contra a guerra, fosse um crime. O mesmo foi verdadeiro durante a Primeira Guerra Mundial. Na Segunda Guerra Mundial, os japoneses foram todos postos em campos de concentração sem fundamento, racialmente baseado em suspeitas de deslealdade. Durante os primeiros anos da Guerra Fria, o Macartismo estava em alta. Os exemplos são abundantes entre humanos, e os EUA nunca foi uma exceção. Isto é verdadeiro até mesmo entre galinhas. Se um pássaro tem uma pena fora de lugar, os outros irão bicar e talvez até matar. Aquela pena fora de lugar é considerada um distintivo anunciando que quem a tem pertence a outro grupo. Este outro deve morrer.

Os libertários, que tendem a serem mais inteligentes, melhor informados e, definitivamente, muito mais independentes que a média, estarão em uma posição delicada enquanto a crise mais se aprofunda. A maioria não irá entrar no pensamento de grupos que inevitavelmente acompanha a guerra e outras crises maiores. Assim, eles parecerão duvidosos e até mesmo traidores. Como Bush disse, “se você não está com nós, está contra nós”. E, ele poderia ter adicionado, “a constituição que se lasque”. Mas é claro que aquele documento não é mais nem um apoio da boca pra fora; agora é uma carta completamente morta.

É muito difícil um individualista manter sua boca fechada quando ele vê estas coisas acontecendo. Mas é melhor ele ficar quieto, como HL Mencken fez sabiamente durante as duas guerras. No mundo de hoje, apenas ficar quieto não será o suficiente; o Estado de Segurança Nacional tem um arquivo extenso e em constante conhecimento de todos. Eles acreditam saber exatamente quais são as suas crenças, desejos, medos, e associações, ou que possam ser. O que nós estamos encarando agora parece ser mais perigoso que as últimas crises. Se você for sábio, irá se relocar para um lugar, onde você seja um tipo de estrangeiro, e por virtude do fato, seja permitido algum tipo de opinião excêntrica. É Por isso que gasto um maior tempo na América Latina. Na verdade, entretanto, segurança será difícil de encontrar em qualquer lugar nos próximos anos. O máximo que você pode esperar é tentar aumentar as chances ao seu favor.

A melhor maneira de fazer isto é diversificando seus bens internacionalmente. Alocando sua riqueza em ativos reais. Se envolver com pessoas que compartilhem seus pensamentos e valores. E ficar alerta para as especulações de alto potencial que inevitavelmente surgem durante tempos caóticos.

Outra peça que se encaixa tristemente na queda dos EUA é sua incrível crise da dívida. Aqueles com a visão longa para tirar vantagem desta mudança de tendências que isto causa, pode não apenas sobreviver, mas prosperar durante os tempos difíceis que estão pela frente.

Créditos à Fabio Sandi pela tradução.

Texto original em inglês: Part 1 http://www.caseyresearch.com/articles/ascendence-sociopaths-us-governance

  • Boobus Americanus: O jornalista e fofoqueiro americano H. L. Mencken (O livro dos Insultos) fez um involuntário tributo à classificação de Carl Linnaeus, (naturalista sueco que era apaixonado por nomear coisas) quando apelidou grande parte da população americana de Boobus americanus. Mencken descreveu o perpetuamente mistificado B. americanus como “um pássaro que desconhece a estação proibida”, o que coincidentemente descreve o Papa-Léguas, também conhecido como Disappearialis quickius. Para o texto, isto quer dizer, homem indiferente, cujas idéias são formuladas por processo de emoção, sentimentos muito intensos, mas sem capacidade de julgamento. O idiota, o cidadão americano complacente, preguiçoso e estúpido, que baseia seu voto no que a mídia ou o governo expõe fraudulosamente por verdade; é aquele que não lê a constituição ou não têm base nenhuma sobre os direitos do cidadão.
  • TSA (Transportation Security Administration), braço do Pentágono.
  • Experimento de Stanley Milgram, ver em: http://rodolfo.typepad.com/no_posso_evitar/2009/06/experimentos-em-psicologia-stanley-milgram-e-o-choque-de-autoridade.html

Eder Silva é turismólogo (UP) e gestor da informação (UFPR). Este artigo reflete as opiniões do autor. O site não se responsabiliza e nem pode ser responsabilizado pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso dessas informações.

Anúncios

Sobre Eder Silva

I'm a outsider

Discussão

Um comentário sobre “A ASCENDÊNCIA DOS SOCIOPATAS NO GOVERNO DOS E.U.A. – PARTE I

  1. Muito bom Eder, espero que o pessoal tambem goste desta reflexão.

    Publicado por fabiosandi | 5 de julho de 2012, 9:50 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: